21 de abril de 2008

Abrilosto


Imagem da Agenda Cultural de Faro*


Ele há meses assim. É pena porque Abril é Abril. Sempre.

Há muito tempo aprendi com o Boris um certo jogo dos meses e logo me pus a inventar, entre brumários e semeadores, meses de quinze dias e duas semanas consoante as luas.
De Janarço a Febrosto podem decorrer apenas três marés e dois dias de chuva miudinha, por exemplo. O natal é em Dezembrulho por via das prendas e o mês de todos os encantos é mesmo o Setembraio.

E tudo isto como forma airosa de não falar do turismo sénior na Madeira. Para não ficarmos mais encavacados com senhor que só traz bom tempo amais a sua dilecta senhora que não gosta de números. O que lembra um outro divertido casal que na primeira vez que lá foi, depois da última em que lá tinha estado, fez idêntica figura, aquando da inauguração do chafariz no largo da igreja.
Mas isso foi antes de Abril.

*O 31 de Abril foi descoberto pela Sofia

3 comentários:

CCF disse...

Eu gosto da rima: Abril, beijos mil! Com recomendações para a Madeira :)
~CC~

*JjS* disse...

Sim, minha rapariga. Também gosto de me arrimar assim.
Beijos mil.

Para a Madeira, para o Brasil
Entroncamento e Setil.

Em abril, beijos mil.

Na boca, na face, de perfil,
no pescoço, peito febril
À tardinha, noite e manhã (com til)
pelo crepúsculo civil
Lenga-lenga, ritmo infantil
ou doce cantiga, verso subtil...

Ah. E não esquecer aquele caril
planalto de manga e caril.

Em Abril, beijos mil!

CCF disse...

Bem, bom, delicioso! Abril de abrir totalmente o apetite...Poema que devia ser postado em primeiro plano.
~CC~