2 de fevereiro de 2007

o que deve mudar

No referendo do dia 11 a única coisa que vai a votos é o código penal

O que diz o Código Penal:

ARTIGO 140º
Aborto
1 Quem, por qualquer meio e sem consentimento da mulher grávida, a fizer abortar, é punido com pena de prisão de 2 a 8 anos.
2 Quem, por qualquer meio e com consentimento da mulher grávida, a fizer abortar, é punido com pena de prisão até 3 anos.
3 A mulher grávida que der consentimento ao aborto praticado por terceiro, ou que, por facto próprio ou alheio, se fizer abortar, é punida com pena de prisão até 3 anos

ARTIGO 142º
Interrupção da gravidez não punível
(*Ver Lei 90/97 Que Altera Este Artigo*)
1. Não é punível a interrupção da gravidez efectuada por médico, ou sob a sua direcção, em estabelecimento de saúde oficial ou oficialmente reconhecido e com o consentimento da mulher grávida, quando, segundo o estado dos conhecimentos e da experiência da medicina:
a) Constituir o único meio de remover perigo de morte ou de grave e irreversível lesão para o corpo ou para a saúde física ou psíquica da mulher grávida;
b) Se mostrar indicada para evitar perigo de morte ou de grave e duradoura lesão para o corpo ou para a saúde física ou psíquica da mulher grávida, e for realizada nas primeiras 12 semanas de gravidez;
c) Houver seguros motivos para prever que o nascituro virá a sofrer, de forma incurável, de grave doença ou malformação, e for realizada nas primeiras 16 semanas de gravidez; ou
d) Houver sérios indícios de que a gravidez resultou de crime contra a liberdade e autodeterminação sexual, e for realizada nas primeiras 12 semanas de gravidez.
2. A verificação das circunstâncias que tornam não punível a interrupção da gravidez é certificada em atestado médico, escrito e assinado antes da intervenção por médico diferente daquele por quem, ou sob cuja direcção, a interrupção é realizada.
3. O consentimento é prestado:
a) Em documento assinado pela mulher grávida ou a seu rogo e, sempre que possível, com a antecedência mínima de 3 dias relativamente à data da intervenção; ou
b) No caso de a mulher grávida ser menor de 16 anos ou psiquicamente incapaz, respectiva e sucessivamente, conforme os casos, pelo representante legal, por ascendente ou descendente ou, na sua falta, por quaisquer parentes da linha colateral.
4. Se não for possível obter o consentimento nos termos do número anterior e a efectivação da interrupção da gravidez se revestir de urgência, o médico decide em consciência face à situação, socorrendo-se, sempre que possível, do parecer de outro ou outros médicos.

Parece que a única coisa que incomoda a padralhada e mais a cambada toda que anda a insultar a nossa inteligência é estar escarrapachado na pergunta do referendo a pedido da mulher De resto até se admite até às 12 semanas Se a pergunta fosse
Concorda que a mulher não seja presa depois de fazer um aborto com o parecer favorável da ordem dos médicos mais do concelho episcopal mais da comissão de ética da saúde mais da associação das famílias numerosas mais do treinador do benfica e da fadista cátia e das mães de bragança numa clínica do grupo mello com um empréstimo do bcp
A corja andava toda aí a defender o sim
O que é importante é que a mulher não tenha capacidade de decisão Quando muito dá-se-lhe a possibilidade de consentir

Mas não são só esses do não que me metem nojo Os ps que tendo uma maioria na assembleia a usam não para alterar a lei como lhes compete mas para impedir que ela seja alterada são os únicos responsáveis por ter dado voz a esta gente que vem repetir o mesmo palavreado de há oito anos e meter panfletos escabrosos nas mochilas das crinças dos infantários
Foram eles que deram tempo de antena ao bagão à zita (duvido que a zita seabra para alguém) à matilde à laurinda ao fernando e à bispada e padralhada podre para virem insultar a nossa inteligência e tratar os que acham que as mulheres que interrompem uma gravidez não devem ser presas como se fossem assassinos de crianças Esses são os mesmos que pactuam com a violência e os maus tratos nas instituições da igreja e toleram o abuso sexual de crianças pelos padres

E só mais uma coisa
Os meus impostos não deviam pagar o tempo de antena do marcelo na televisão pública
Rua

4 comentários:

marta disse...

Caramba! e eu que ainda pensava que tinha sido um pouco violenta.

Gregorio Salvaterra disse...

Não Marta Isto não é violência É apenas raiva Raiva pela violência que cresce no mundo e contra a qual nunca vi os tão empenhados militantes provida alinharem-se O seu alinhamento histórico é sempre do mesmo lado
Querer mudar a lei que transforma a desgraça e o sofrimento em crime não impõe nada ninguém Pelo contrário os que defendem a lei que manda mulhers para a prisão impõem a outros a sua moral e isso é inaceitável Façam-no pelo valor das suas convicções Apoiem o planeamento familiar A educação sexual A contracepção gratuita Lutem por melhores condições que permitam a todos ter os filhos que desejam Lutem por uma sociedade mais justa e equitativa É bem possível que nos encontremos do mesmo lado Mas esses estão sempre do outro
Por isso não merecem o meu respeito.

Cristina GS disse...

Já tinha saudades dessa verve. Completamente do teu lado, companheiro do Sul

Anónimo disse...

É mesmu não deve ter abortooo eu só comtra isso .....E as coisas esta muito deficil em hoje em dia por issso q as pessoas leva a fezer loucuras..Mas as coisas tem q mudar pq se não o mundo via acabar nos tempos de hoje...A educação esta muito precaria,as pessoas estão muito sofrida com isso mas um dia isso tem q mudar...
Esperooo q um dia tudo issoo acabe...