10 de novembro de 2007

Pó de ser


Já me tinha soado que havia qualquer coisa no ar... Afinal era poeira.
Pós. Pós modernos, claro.
Acabaste de inventar um novo produto blogoliterário.
Estórias em pó.
Basta juntar água.
Gande abraço à Cristina -que ninguém lia (!)- e boas estórias.
Água, meto-a eu

1 comentário:

CristinaGS disse...

És um maroto, mas olha que não sendo esse o nome, Pó de ser traduz bem o espírito da coisa. Boa a tua interpretação sem meter água.
Bjs